• Ana Paula Maciel Vilela

Introspecção

Updated: Sep 12, 2021


Imagem Unsplash por Karim Manjra



Dói-me a pele,

A respiração,

O pensar,

As possibilidades.

O amanhã

Dói-me.

Se existe “dói-me”?

Existe em mim.

As lágrimas pairam prestes a transbordar e, se o suspiro vem forte, transbordam.

A empatia,

A mãe morta,

Os irmãos.

Fios e fios de preocupações, orações feitas no decorrer do dia

Enquanto o almoço é feito, refogando alho, cebola e lágrimas

Enquanto a roupa é alisada na banca.

O ferro quente.

Alisada assim como tudo aquilo, emaranhado e amassado dentro de si mesma.

Os dias passando, o nó preso na garganta,

Lágrimas sempre e sempre renovadas a transbordar.

Súplicas. Contemplação. Silêncio.

No leito aguarda.

A mãe morta.


Poema selecionado para a" Antologia Poesia Agora" 2021 da Editora Trevo